Alyssa Anne Dayvault - Youtuber não queria os filhos

CRIMES REAISCASOS ESTRANGEIROS

4/27/20235 min read

Ela jogou seus dois filhos no lixo

Alyssa Anne Dayvault tinha 30 anos nas época dos fatos e morava em Myrtle Beach - Carolina do Sul.

Morava com seu namorado Chris Matechen (médecan) e suas duas filhas de 8 e 10 anos, ambas não eram filhas de Chris, eram frutos de um relacionamento anterior de Alyssa.

Ela tinha um canal no Youtube onde postava tutoriais de maquiagem e tinha vários seguidores, assim como nas suas redes sociais. Todos relatavam que ela parecia uma pessoa extrovertida e simpática, que adorava trabalhar com beleza.

Certa noite em dezembro de 2018, (não tem dia correto) Chris encontrou Alyssa caída no chão do banheiro de sua casa com sangramento vaginal, ela estava fraca, quase inconsciente, então ele a levou a um hospital local. Os médicos então constataram a presença de um cordão umbilical e de placenta, mas sem qualquer paradeiro de um bebê. Eles questionaram a Alyssa e a Chris sobre o bebe, mas ambos negaram que Alyssa estivesse gravida, Alyssa disse que um tempo atrás tinha tido alguns problemas e que um medico tinha dito a ela que não poderia mais ter filhos e que não tinha bebe nenhum. Os médicos estranharam muito tudo aquilo porque pra eles era obvia que Alyssa era uma mulher que tinha acabado de dar à luz então a polícia foi chamada.

Inicialmente Alyssa negou também para os policiais que estava grávida, no entanto, acabou não conseguindo manter sua mentira por muito tempo e contou a verdade. Alyssa disse que estava sim gravida mas que ninguém sabia disso, nem seu namorado Chris, isso porque ela não queria ser mãe de novo e não sabia o que fazer com essa gravidez. Naquela noite então ela começou a passar mal e entrou em trabalho de parto, ela deu a luz sozinha no banheiro de casa, o bebe nasceu e era um menino, segundo ela depois de dar à luz ela desmaiou e acordou cerca de 15 minutos depois, então ela encontrou o filho morto ao seu lado, com o rosto todo azul. Ela alegou que entrou em pânico, não sabia o que fazer então colocou o corpo dele no saco de lixo do banheiro.

Imediatamente foram realizadas buscas na casa de Alyssa e os policiais encontraram realmente o corpo do bebê em um saco de lixo no banheiro.

Aparentemente Alyssa tinha a intenção de tirar o lixo depois se livrando do corpo como se nada tivesse acontecido, mas como passou mal e precisou ir ao hospital não teve tempo de fazer isso.

Um patologista testemunhou que mecônio foi encontrado no saco de lixo com o recém-nascido. O mecônio é matéria fecal que os recém-nascidos normalmente expelem após o nascimento. O médico disse que o mecônio indicava que a criança nasceu viva e provavelmente morreu sufocada dentro do saco plástico, o que contradizia a versão de Alyssa que o menino tinha morrido no chão do banheiro. A causa de sua morte não pôde ser determinada definitivamente, mas os médicos afirmam que o menino ainda estava vivo quando foi colocada na lata de lixo.

Em meio as investigações, para chocar mais ainda os investigadores, Alyssa acabou assumindo ter feito o mesmo com outra criança nascida em novembro de 2017. Ela disse que deu à luz, dessa vez a uma menina, também sozinha em sua casa, segundo ela o bebê nasceu com o cordão umbilical enrolado no pescoço, mas estava respirando, dentro de poucos minutos a menina parou de respirar e morreu então, como ela fez no caso de seu filho, ao invés de procurar atendimento médico para o bebê, Alyssa jogou ela em um saco de lixo e depois jogou fora em uma lixeira atrás de sua casa. Segundo ela Chris não estava em casa nesse momento e ela não teve nenhuma complicação após o parto então não precisou ir ao hospital.

Foram obtidos registros médicos de um ultrassom feito por ela no início do ano anterior mostrando realmente uma gravidez saudável de uma criança que nunca chegou a ser registrada. O namorado de Alyssa, Chris, ficou em choque ao saber o que ela havia feito, pois ele informou que nunca soube da gravidez de nenhuma das duas crianças e jamais esperava que sua companheira seria capaz de cometer esse crime.

Segundo Chris das duas vezes ele notou mudanças corporais em Alyssa, mas ficou sem jeito de tocar no assunto, ele pensou que ela só estava engordando já que ela tinha dito a ele também no inicio do relacionamento que não podia ter filhos. Segundo ele a mãe de Alyssa chegou a perguntar pra ela da primeira vez se ela estava gravida, mas Alyssa ficou muito brava e negou veementemente. Depois de alguns meses Chris fez uma viagem e passou cerca de 1 mês fora, ele foi visitar familiares em outra cidade e segundo ele Alyssa não quis acompanha-lo, ele estranhou, mas respeitou a vontade dela, então quando ele voltou Alyssa estava completamente diferente, bem mais magra, ela disse pra ele que tinha se empenhado ao máximo enquanto ele estava fora para emagrecer a surpreende-lo quando ele voltasse e que por isso não quis ir viajar com ele. Mesmo achando estranho aquele emagrecimento tão rápido Chris acreditou em Alyssa.

Na segundo gestação as coisas foram parecidas, ele notou as mudanças corporais, mas não teve coragem de tocar no assunto com Alyssa, até o dia que encontrou ela caída no chão do banheiro. A policia acabou acreditando na versão de Chris e ele não sofreu nenhuma acusação. Alyssa foi presa e acusada de homicídio culposo das duas crianças, os advogados dela atribuíram os crimes à sua saúde mental, o que não foi aceito pelo júri. Alyssa foi condenada a 40 anos de prisão, sem possibilidade de liberdade condicional.

Em seu julgamento ela pediu desculpas às suas filhas mais velhas e ao ex-namorado, pai das crianças assassinadas por ela, e aos pais dele. “Espero que um dia elas me perdoem pelo que fiz”, disse ela ao falar das filhas. Depois ela afirmou: “Também quero me desculpar aos Matechens. Não queria ter feito nada disso. Nunca machuquei ninguém. Cometi um erro terrível em minhas ações. Nunca fiz mais nada para machucar ninguém, especialmente uma criança”.

O ex-namorado de Alyssa, Chris, afirma que nunca a perdoaria pelos crimes contra seus filhos que ele nem chegou a conhecer e escreveu textos de repúdio às atitudes da ex-namorada em sua rede social.

Alyssa permanecesse presa cumprindo sua sentença.

Outros Casos