China Arnold - O falso amor de uma mãe

CRIMES REAISCASOS ESTRANGEIROS

4/22/20235 min read

Ela teve a coragem de cozinhar a filha no micro-ondas

China Arnold tinha 25 anos e vivia em Dayton, Ohio. Sua infância foi bem conturbada, seus pais eram usuários de drogas e tinham vários problemas financeiros. A família era bem conhecida no bairro por conta das confusões em que China arrumava tanto na rua, quanto na escola. Ela nunca foi uma boa aluna, sempre arrumava problemas, suas notas eram baixas e depois de um tempo, até sua frequência era ruim. Devido à sua infância turbulenta, não demorou muito para China se envolver no mundo do crime.


Desde muito nova, China já trabalhava para ajudar seus pais com as despesas da casa. Grande parte dos trabalhos que ela arrumava eram legalizados, mas todos tinham funções por fora que eram criminosas e ela nunca se importou em fazer. China dizia que essas eram as funções que mais pagavam, e que por isso, compensavam muito mais. China acabou sendo presa várias vezes por essas atividades criminosas, sendo que as piores aconteceram em 2000, quando ela foi condenada por sequestro e em 2002, quando foi condenada por falsificação.


Apesar de ter sido condenada por dois crimes graves, por algum motivo China não ficou muito tempo presa e voltou a ter sua liberdade ainda em 2002.


Algum tempo depois naquele ano, China conheceu Terrell Talley, um rapaz problemático e envolvido com coisas ilegais. Como tudo na vida de China, o relacionamento do casal também era bem conturbado com discussões constantes. Após três anos de namoro e por um descuido do casal, China engravidou de sua primeira filha. Terrell, no entanto, já tinha um filho com outra moça e dividia a guarda com a ex-mulher.


No dia 29 de agosto de 2005, quando a filha do casal que se chamava Paris tinha apenas 28 dias de nascida, eles decidiram dar uma volta no parque e deixar a criança com a irmã de Terrell, Lionda, para ter um tempo a sós. Eles compraram algumas bebidas e sentaram para conversar. A princípio tudo estava indo bem, eles estavam se entendendo, mas quanto mais eles bebiam, mas a conversa se transformava em discussão. Até que Terrell começou a questionar se Paris era realmente sua filha, pois havia boatos de que China estava saindo com o colega do namorado. China logo se irritou e confirmou que a filha era realmente de Terrell, mas o nível de álcool do casal estava muito alto e eles só conseguiam discutir. Terrell estava extremamente irritado com esse boato e acabou agredindo China.

Os dois voltaram para casa ainda brigando pelo caminho, até que Terrell confessou ter dormido com a vizinha e contado o quanto isso tinha sido prazeroso. China foi para casa, enquanto Terrell saiu sem rumo.


Já era tarde da noite quando Terrell voltou para casa e encontrou China e sua filha dormindo na sala. Ele foi se deitar, e no dia seguinte quando acordou, foi logo brincar com a nenê, mas percebeu que ela estava fria, rígida e com algumas marcas de queimadura pelo corpo. Então, às 7h15 da manhã do dia 30 de agosto de 2005, Terrell e China deram entrada no hospital infantil, pois sua filha não estava mais respirando. A equipe médica tentou ressuscitar a recém nascida, mas não tiveram sucesso, ela já estava sem vida.


O doutor responsável por atender Paris, percebeu que a criança estava com queimaduras no rosto, no corpo e nos membros e foi questionar os pais. Terrell estava desesperado e não sabia explicar o que tinha acontecido. China também parecia surpresa, mas não tanto como Terrell, e disse não saber o que poderia ter acontecido. O doutor imediatamente chamou a administração, e disse ter sentido que a mãe da criança poderia estar envolvida. A polícia foi acionada e China foi detida. Os detetives foram até a casa do casal tentar encontrar algo que pudesse explicar o que tinha acontecido com a criança. No banheiro, viram que a banheira estava com uma água muito escura e que tinha uma toalha úmida com algo muito escuro também, mas que eles não conseguiram identificar.


Alguns dias depois, a autópsia de Paris estava pronta e a causa da morte teria sido porque a criança estava superaquecida. O corpo da recém nascida tinha atingido 50 graus celsius e os órgãos internos estavam “cozidos”.

Procurando na casa de China por algo que pudesse causar aquilo na bebê, os policiais chegaram à conclusão que só poderia ser o microondas.

O processo contra a China foi longo, ela foi presa, depois liberada para aguardar em liberdade e presa de novo em 2006. Ela passou por 3 julgamentos, o primeiro aconteceu em fevereiro de 2008 mas acabou sendo anulado porque na ocasião, o filho de Terrell de 5 anos disse ter visto um vizinho colocando Paris no microondas. O julgamento de China foi cancelado para essa informação ser checada, mas no fim foi confirmado que o menino de 5 anos não estava na casa de China no dia do crime, por isso não poderia ter visto nada.

O segundo julgamento aconteceu em setembro de 2008, segundo a versão apresentada pela acusação, naquela noite China estava com raiva pela briga com o namorado e decidiu se vingar usando a filha, além de que ela também não tinha certeza da paternidade. Ela colocou a filha no microondas, deixou por 2 minutos e depois tirou. Para esconder as queimaduras que ficaram na pele ela levou Paris para a banheira e limpou sua pele com a água e toalha, por isso estavam sujas e escuras.


Ela colocou a filha na cadeirinha e foi dormir tranquilamente fingindo que nada tinha acontecido.
China foi considerada culpada e condenada à prisão perpétua. O julgamento acabou sendo anulado por questões legais apresentadas pela defesa. Um novo julgamento aconteceu em 2011 e dessa vez, além de todas as provas anteriores a acusação também conseguiu uma confissão de China.


Enquanto aguardava o julgamento, China estava presa dividindo cela com Linda Willians. Em pouco tempo, elas se aproximaram, começaram um relacionamento e a contar diversas coisas pessoais uma para outra. Em uma dessas conversas, China admitiu para Linda que tinha ficado com medo de seu namorado descobrir que Paris não era filha dele, então decidiu colocar a menina dentro do microondas. Linda ficou horrorizada com o que tinha escutado e pediu para falar com os investigadores do caso. Ela contou sobre o que tinha acabado de ouvir e a polícia pediu para que ela gravasse a confissão de China, então ela fez. Voltou para cela com um gravador e perguntou por mais detalhes. China contou novamente o que tinha acontecido e ainda acrescentou que o microondas parecia ter sido feito sob medida para a filha.

China também passou por duas avaliações psicológicas para descartar qualquer questão psicológica que pudesse ter levado ela a cometer o crime. Os médicos constataram que China tinha depressão leve, mas nada além que justificasse o crime. Mais uma vez, China foi condenada à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional e segue presa até hoje sendo essa sua sentença definitiva.

Ao longo do processo também foi realizado um exame de DNA que confirmou que Paris era filha biológica de Terrell.


Outros Casos