Sarah Maynard - O aterrorizante assassino das Folhas

CRIMES REAISCASOS ESTRANGEIROS

4/19/20232 min read

Sarah Maynard foi encontrada amarrada e amordaçada

Sarah Maynard, de 13 anos, morava em Ohio com sua mãe Tina Hermann, de 32 anos, o padrasto Greg Borders e o irmão de 11 anos, Kody Maynard. Tina e Greg estavam passando por problemas no relacionamento e em 2010, eles decidiram se separar. Tina estava em busca de um novo lar para ela e seus filhos.

No dia 10 de novembro de 2010, Greg saiu para trabalhar, Kody e Sarah foram para escola e Tina iria encontrar sua amiga Stephanie Sprang de 41 anos, para olhar algumas casas e depois iria trabalhar.

Tina e Stephanie chegaram em casa por volta do meio dia. Enquanto Stephanie colocava o carro na garagem, Tina estava indo guardar as compras. Deu 16h, e Tina ainda não tinha chegado no serviço, sua colega de serviço Valerie, achou muito estranho, pois ela não era o tipo de pessoa que não apareceria no serviço e não avisava. Conforme o tempo passava e Valerie não conseguia contato com Tina, ela decidiu ligar para a polícia e avisar o que estava acontecendo.

A polícia foi até a casa da família Hermann, mas não encontrou nada de estranho, assim como nenhum sinal de alguém dentro da casa, então foram embora. Mais tarde, novas viaturas foram enviadas para lá e a casa ainda estava vazia. No dia seguinte, quando Tina não foi trabalhar novamente, Valerie sabia que tinha alguma coisa de errado e foi até a casa da amiga, ela sabia que a janela dos fundos estava com uma mola quebrada e que seria fácil entrar. Quando Valerie entrou na casa, viu poças de sangue por todo chão. Ela ligou para a polícia, que descreveu o local como um “matadouro”. Tinha diversos rastros de sangue que acabavam todos no banheiro, onde foi encontrado mais de 2 polegadas de sangue.

A polícia imediatamente suspeita de violência doméstica, já que Tina e Greg não estavam tão bem, o único problema é que ninguém sabia onde ele estava, e nem onde estavam Sarah e Kody, eles tinham ido para a escola na quarta-feira (10), mas tinham faltado no dia seguinte (11).

Quando conseguiram encontrar Greg, ele disse que o relacionamento estava passando por problemas, mas que ele não voltou para casa depois do trabalho. Na verdade, ele saiu para comprar algumas cervejas e foi para a casa de um amigo jogar golfe, então a polícia o descartou como suspeito.

Algumas horas depois, a polícia rastreou o carro de Tina em uma trilha que ficava há 9 quilômetros da casa em que ela morava, mas não acharam nenhuma pista. A polícia recebeu uma denúncia de alguém que tinha visto o namorado de Stephanie cavando o quintal deles. Ao interrogarem o rapaz, ele disse que estava enterrando o coelho que eles tinham, então a polícia foi até o local e viu que realmente tinha um coelho ali. O rapaz também foi descartado da lista de suspeitos.

Em três dias de investigação, a polícia ainda não tinha nenhuma pista de onde a família Hermann poderia estar e o que tinha acontecido. Eles voltaram para a casa e na garagem encontraram uma sacola do Walmart com lonas e sacos de lixo dentro. Como a investigação estava parada, as autoridades foram para o Walmart mais próximo, pediram para ver as câmeras.

As imagens mostravam um rapaz de camisa camuflada que tinha ido ao local no dia do desaparecimento, um pouco antes da meia noite, e comprou exatamente o que encontraram na garagem de Tina. Após efetuar a compra, o rapaz sai do mercado e vai para o carro. Através da câmera, a polícia conseguiu identificar o modelo do veículo e começou a buscar pessoas que tinham o mesmo carro ali na região.

De repente a polícia tinha um novo suspeito, acharam o proprietário do carro, que inclusive, estava usando a mesma camisa na foto da habilitação. Ele também estava próximo do local onde o carro de Tina foi encontrado, esperando sua namorada Sarah. Isso foi o que ele disse ao policial que o viu lá, mas que na hora nem juntou os casos e o deixou ir embora.

O novo suspeito era Matthew Hoffman, um homem de 33 anos que morava na região. Quando tinha 18 anos, Matthew se mudou para o Colorado, seus vizinhos o achavam um pouco estranho, mas não a ponto de terem medo dele. Matthew trabalhava como jardineiro e em um dos condomínios em que trabalhou, ele voltou para invadir, mas ficou com medo de acharem as impressões digitais e colocou fogo no prédio, onde moravam 16 pessoas, causando um prejuízo de 2 milhões de dólares. Matthew ficou preso por 8 anos. Em 2017, ele estava cumprindo sua condicional de volta em Ohio, foi quando conheceu sua namorada e o filho dela.

Em outubro de 2010, ele perdeu o emprego e seu relacionamento estava indo por água a baixo, em uma das discussões que aconteceu no dia 24 daquele mês, Matthew tentou sufocar sua namorada, que logo depois foi embora com o filho e nunca mais voltou. A partir desse momento, os vizinhos de Matthew disseram que ele começou a ficar mais estranho, bem mais calado, vivia fazendo fogueiras, matando esquilos e subindo nas arvores do quintal e passando horas por lá.

No dia 14 de novembro, por volta das 8 horas da manhã, a polícia invadiu a casa de Matthew em Ohio, e o encontraram no sofá segurando uma enorme faca. Tinham diversas pilhas de folhas pela casa toda, inclusive no banheiro, onde a parede era coberta com diversos sacos de folhas. A polícia chegou a achar que os corpos pudessem estar embaixo dessas pilhas, mas não acharam nada. Entretanto, os policias acharam dois esquilos congelados no freezer e uma bota feminina no banheiro, então eles começaram a revistar a casa inteira e perceberam que tinha uma porta que estava sendo bloqueada por um armário.

A polícia removeu o móvel, desceu as escadas que davam para o porão e acharam Sarah ainda viva, deitada em uma cama feita por cobertores e folhas com fraldas e alguns ferimentos de agressão sexual.

Quando Matthew foi preso, ele não quis colaborar com a polícia, disse que ficaria em silencio, mas três dias depois da prisão, ele teve um pesadelo com um corpo desmembrado e decidiu contar a verdade. Matthew chamou por Joe Dietz, um detetive, disse que só contaria para ele e se fosse no banheiro, sem nenhuma gravação.

Joe e Matthew foram para o banheiro e Matthew disse que contaria onde estavam os corpos, desde que ele levasse a polícia até lá. No meio do caminho, ele iria fingir uma fuga e o policial iria atirar nele para que ele não fosse para cadeia. Como o detetive Joe Dietz recusou a oferta, Matthew negou o envolvimento no caso.

A polícia recebeu uma denúncia de que Matthew tinha feito uma fogueira na casa de um vizinho que estava na Florida alguns dias atrás, então eles foram até o local, mas não encontraram nada. As autoridades estavam sem nenhuma pista de onde poderiam estar os corpos, e decidiram que era hora de fazer um acordo com o culpado. A polícia e a família de Sarah decidiram desconsiderar a pena de morte, se ele revelasse onde estavam os corpos, mas ele também não teria direito a condicional. Matthew percebeu que também estava sem saída e aceitou o acordo. Ele confessou o crime, desenhou um mapa detalhado de onde tinha escondido o resto de Tina, Stephanie e Kody.

De acordo com Matthew, o caso se tratava de um roubo que deu errado. Ele não conhecia a família, Sarah confirmou que nunca tinha o visto, mas a polícia não acreditou nessa história ainda mais depois do depoimento.

Na noite de 09 de novembro, uma terça-feira, Matthew passou a noite num saco de dormir do lado de fora da casa da família com uma faca. Na quarta-feira, ele viu Greg, as crianças e Tina saindo da casa, e entrou. Ele ficou por um tempo na casa até que ouviu um carro chegando. Ele se escondeu e quando Tina entrou, ele a espancou. Sthepanie ouviu o barulho e foi ver o que era, então ele a atacou em seguida e matou as duas.

Matthew sabia que as crianças voltariam, então ficou aguardado do lado de fora. Quando Sarah e Kody chegaram, ele atacou o menino, enquanto Sarah correu para o quarto e ligou para a polícia, mas ela não conseguia falar de tão nervosa. Matthew foi até o quarto, amarrou Sarah e amarrou o travesseiro no rosto dela com fita adesiva. Em seguida, foi até Kody e terminou de mata-lo. Ele desmembrou toda a família no banheiro da casa, colocou os sacos de lixo no carro e Sarah ainda com o travesseiro no rosto em cima dos restos da família, dirigiu até sua casa, colocou Sarah no porão e saiu para se livrar dos outros corpos.

Ele dirigiu até a trilha, onde o carro de Tina foi achado, procurou por uma árvore muito alta, oca e com um buraco e jogou os sacos de lixo dentro. Quando a polícia foi até o local, viram que o buraco da árvore era muito pequeno, então tiveram que cortá-la com uma serra para conseguir tirar os sacos. Matthew foi condenado a prisão perpétua sem liberdade condicional.

Depois desse acontecimento, Sarah foi morar com seu pai Larry e sua madrasta, Tracy Maynard de 33 anos em Nova Jersey. Em 2013, quando Sarah tinha 16 anos, alegou que seu pai e Tracy tinham a agredido. Larry teria dado um soco nas costas da filha, no dia 03 de maio, e cinco dias depois, Tracy a teria empurrado a enteada escada abaixo.

No julgamento que aconteceu em 22 de setembro de 2013, a justiça determinou uma ordem de restrição para Sarah e passou a guarda dela para a avó materna, Barbara Hermann. Sarah e o tribunal concordaram em retirar as acusações contra eles, já que tinham completado todas as aulas para pais ordenadas pelo tribunal, passado por uma avaliação psicológica e aconselhamento, desde que a guarda ainda continuasse com a avó.

Outros Casos