Suzanne Eaton - Atropelada e Estrupada Durante Viagem

CRIMES REAISCASOS ESTRANGEIROS

9/22/20234 min read

O FIM DE UMA RENOMADA CIENTISTA

Chania, a segunda maior cidade da Grécia e por muitos considerada a mais bonita do país, superando a própria Atenas, recebia, em 2019, uma das maiores conferências científicas sobre biologia daquele ano.

Dentre seus ilustres participantes, estava a Doutora Suzanne Eaton. Uma renomada cientista e professora norte-americana de 59 anos, que era uma referência na área de biologia molecular.

Suzanne era uma das líderes do aclamado Instituto Max Planck de Biologia Celular Molecular e Genética, com sede em Dresden, na Alemanha.

Nesse instituto, ela desenvolvia diversas pesquisas sobre o funcionamento e desenvolvimento de células que ajudam a moldar os tecidos de diversos insetos.

Mas ela não era só uma brilhante cientista, Suzanne sempre dizia que suas maiores conquistas eram seus dois filhos, fruto de um feliz casamento com o também cientista e diretor do Max Planck, Anthony Hyman.

Se já não bastasse sua grande inteligência, Suzanne também era uma excelente pianista e adorava praticar Taekwondo nas horas vagas.

A conferência em Chania ocorria normalmente em Julho daquele ano. O tempo estava agradável na Grécia e Suzanne, que mantinha um estilo de vida saudável, resolveu sair no final da tarde para fazer uma corrida pela cidade.

Esse dia era 2 de julho de 2019 e esta foi a última vez que ela foi vista com vida.

Como ela era uma das palestrantes do evento, sua falta logo foi notada. A princípio, as autoridades acreditavam que ela tivesse sofrido algum tipo de acidente durante seu exercício, já que Chania é considerada uma cidade muito segura.

Somente quase uma semana depois, no dia 8 de julho, cerca de 10km distante do local da conferência, em uma gruta, que mais tarde se revelaria um abrigo possivelmente utilizado por nazistas durante a segunda guerra mundial, o corpo da cientista foi encontrado já sem vida por dois moradores locais a 60 metros da entrada do local.

No início das investigações, as autoridades já encontraram indícios de que sua morte foi provocada por estrangulamento, mas o corpo da vítima ainda apresentava alguns sinais de esfaqueamento.

Nos dias seguintes, as autoridades gregas já tinham o nome e a localização de um suspeito. Seu nome era Yiannis Paraskakis, um jovem local de 27 anos, pai de duas crianças e filho de um padre.

Após mais de 6 horas de interrogatório, Yiannis confessou ter assassinado Suzanne “motivado pela satisfação sexual”, de acordo com suas próprias palavras.

Yiannis era relativamente conhecido no país devido ao seu canal do Youtube - que mantinha na época e agora apagado - focado em mostrar suas aventuras na região com seus amigos, quando saía para explorar a região e caçar alguns animais.

Em um de seus vídeos ele chegou a visitar este abrigo nazista escondido nas matas. Na ocasião, ele e seus amigos, filmaram todo o lugar e era notável a presença de alguns ossos no local. Um de seus amigos até pergunta a Yiannis se aqueles ossos eram de um velho. Isso levantou diversas suspeitas na época da postagem dos vídeos, mas os ossos nunca foram achados. Provavelmente, Yiannis os removeu após o vídeo ter ido ao ar.

O jovem assassino não era um total estranho para a polícia, já que haviam duas acusações de tentativa de atropelamento feitas contra ele, mas que não resultaram em nenhum processo formal.

Entretanto, esse foi o método utilizado por Yiannis para abordar Suzanne. Ele confessou que teria atingido a cientista duas vezes com seu carro enquanto ela corria, para em seguida, colocar seu corpo inconsciente no carro e levá-la até o local, onde a estuprou e a deixou para morrer.

Em seguida, o assassino tapou a entrada do abrigo com algumas tábuas e seguiu até um cemitério próximo para limpar o carro. Foi justamente esta movimentação que levou as autoridades até seu nome.

Em 13 de outubro de 2020, Yiannis Paraskakis foi a julgamento na Grécia. Na audiência, o jovem se disse culpado do assassinato e estupro de Suzanne Eaton, além de posse ilegal de arma de fogo. Contudo, ele alegou estar sob a influência de uma “possessão demoníaca” durante suas terríveis ações.

Yiannis foi condenado à prisão perpétua. Porém, essa não deve ser a última vez que ele vai enfrentar os tribunais, já que após sua prisão outras cinco mulheres apresentaram queixa contra ele alegando que também foram vítimas de tentativa de atropelamento feitas por Yiannis.

Infelizmente, esse caso nos prova que coisas terríveis podem acontecer até nos lugares mais lindos do mundo e com qualquer tipo de pessoa. A maldade humana realmente pode chegar a qualquer pessoa, a qualquer momento, em qualquer lugar.


Outros Casos